Gênero textual– Música

Gênero Textual  Música

A música é sem dúvida  uma alternativa ou “caminho” para auxiliar nas reflexões sobre diferentes temas presentes na sociedade contemporânea. Além de propiciar o desenvolvimento da leitura, oralidade  e escrita, é um dos  gêneros textuais  com características especificas, carregada de palavras em sentido conotativo, que  possibilita uma leitura crítica e interpretativa, objetivando à formação de leitores mais aguçados.

imagem rap

RAP

O que é o Rap

A termo RAP significa rhythm and poetry ( ritmo e poesia ). O RAP surgiu na Jamaica na década de 1960. Este gênero musical foi levado pelos jamaicanos para os Estados Unidos, mais especificamente para os bairros pobres de Nova Iorque, no começo da década de 1970. Jovens de origens negra e espanhola, em busca de uma sonoridade nova, deram um significativo impulso ao RAP.

O rap tem uma batida rápida e acelerada e a letra vem em forma de discurso, muita informação e pouca melodia. Geralmente as letras falam das dificuldades da vida dos habitantes de bairros pobres das grandes cidades. As gírias das gangues destes bairros são muito comuns nas letras de música rap. O cenário rap é acrescido de danças com movimentos rápidos e malabarismos corporais. O break, por exemplo, é um tipo de dança relacionada ao rap. O cenário urbano do rap é formado ainda por um visual repleto de grafites nas paredes das grandes cidades.

Movimento Rap no Brasil

O rap surgiu no Brasil em 1986, na cidade de São Paulo. Os primeiros shows de rap eram apresentados no Teatro Mambembe pelo DJ Theo Werneck. Na década de 80,  as pessoas não aceitavam o rap, pois consideravam este estilo musical como sendo algo violento e tipicamente de periferia.

Na década de 1990, o rap ganha as rádios e a indústria fonográfica começa a dar mais atenção ao estilo. Os primeiros rappers a fazerem sucesso foram Thayde e DJ Hum. Logo a seguir começam a surgir novas caras no rap nacional: Racionais MCs, Pavilhão 9, Detentos do Rap, Câmbio Negro, Xis & Dentinho, Planet Hemp e Gabriel, O Pensador.

O rap começava então a ser utilizado e misturado por outros gêneros musicais. O movimento mangue beat, por exemplo, presente na música de Chico Science & Nação Zumbi fez muito bem esta mistura.

Nos dias de hoje o rap está incorporado no cenário musical brasileiro. Venceu os preconceitos e saiu da periferia para ganhar o grande público. Dezenas de cds de rap são lançados anualmente, porém o rap não perdeu sua essência de denunciar as injustiças, vividas pela pobre das periferias das grandes cidades.

Veja mais

http://www.suapesquisa.com/rap/  

013-lado-bom

http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/lado-bom-424405.shtml

Assista ao  vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=UFpY-rHsbr0

Lado Bom

Periferia tem seu lado bom
Manos, vielas e futebol no campão
Meninas com bonecas e não com filhos
Planejando assim um futuro positivo

Sua paz é você que define
Longe do álcool, longe do crime
A escola é o caminho do sucesso
Pro pobre honrar desde o começo

E dizer bem alto que somos a herança
De um país que não promoveu as mudanças
Sem atrasar ninguém, rapaz
Fazendo sua vida se adiantar na paz

Jogando bolinha, jogando peão
Vi nos olhos da criança a revolução
Que solta a pipa pensando em voar
Para não ver o barraco que era o seu lar

Periferia lado bom o que você me diz
Alguns motivos pra te deixar feliz
Longe do álcool, longe do crime
Sua paz é você que define

(*)E nessa pipa no céu eu vi planar
A paz necessária para se avançar
Ânimo, positividade em ação
Hip hop cultura de rua e Educação

Foi assim que criaram e assim que tem que ser
O mestre-de-cerimônia rimando pra você
Enquanto o DJ troca as bases
O grafiteiro pinta todo o contraste

Da favela pro mundo
O caminho do rap pelo estudo
Por isso eu não me iludo
Roupa de marca não é meu escudo

Detentos, já te disse no começo
E estudar do sucesso é o preço
Porque a fama não cabe num coração pequeno
Então positividade pra vencer, vai vendo

Longe do crime, longe da dor,
Devemos dar valor ao professor
Vamos planejar um futuro positivo
Para desarmar todo o povo sofrido

Armas no chão, flores nas mãos
União para salvar uma nação
Se liga no que eu vou te falar
No mundo das drogas não pode entrar

Se liga no que eu vou te dizer
Pra depois você não se arrepender
O teu fim não pode ser assim
A rima que eu faço faz parte de mim

O estudo é o escudo, já disse tudo
Valorizar as minas no próximo futuro
Armas no chão, flores nas mãos
União pra salvar uma nação

Canção de Ferréz*
Ilustrada com grafite de Jana Joana e Vitché
Foto: Rogério Albuquerque

Em breve será postada a atividade de produção.

16 thoughts on “Gênero textual– Música

  1. Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.
    Fé em Deus, DJ

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.

    Mas eu só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    Minha cara autoridade, eu já não sei o que fazer,
    Com tanta violência eu sinto medo de viver.
    Pois moro na favela e sou muito desrespeitado,
    A tristeza e alegria aqui caminham lado a lado.
    Eu faço uma oração para uma santa protetora,
    Mas sou interrompido à tiros de metralhadora.
    Enquanto os ricos moram numa casa grande e bela,
    O pobre é humilhado, esculachado na favela.
    Já não aguento mais essa onda de violência,
    Só peço a autoridade um pouco mais de competência.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, han.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.
    Mas eu só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, é.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    Diversão hoje em dia, não podemos nem pensar.
    Pois até lá nos bailes, eles vem nos humilhar.
    Fica lá na praça que era tudo tão normal,
    Agora virou moda a violência no local.
    Pessoas inocentes, que não tem nada a ver,
    Estão perdendo hoje o seu direito de viver.
    Nunca vi cartão postal que se destaque uma favela,
    Só vejo paisagem muito linda e muito bela.
    Quem vai pro exterior da favela sente saudade,
    O gringo vem aqui e não conhece a realidade.
    Vai pra zona sul, pra conhecer água de côco,
    E o pobre na favela, vive passando sufoco.
    Trocaram a presidência, uma nova esperança,
    Sofri na tempestade, agora eu quero abonança.
    O povo tem a força, precisa descobrir,
    Se eles lá não fazem nada, faremos tudo daqui.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar, eu.
    Eu, só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar, é,
    O pobre tem o seu lugar.

    Diversão hoje em dia, nem pensar.
    Pois até lá nos bailes, eles vem nos humilhar.
    Fica lá na praça que era tudo tão normal,
    Agora virou moda a violência no local.
    Pessoas inocentes, que não tem nada a ver,
    Estão perdendo hoje o seu direito de viver.
    Nunca vi cartão postal que se destaque uma favela,
    Só vejo paisagem muito linda e muito bela.
    Quem vai pro exterior da favela sente saudade,
    O gringo vem aqui e não conhece a realidade.
    Vai pra zona sul, pra conhecer água de côco,
    E o pobre na favela, passando sufoco.
    Trocada a presidência, uma nova esperança,
    Sofri na tempestade, agora eu quero abonança.
    O povo tem a força, só precisa descobrir,
    Se eles lá não fazem nada, faremos tudo daqui.

    Esta música fala da violência da favela, da desigualdade social do desrespeito e do medo que sente a pessoa que mora na favela.
    Tudo o que ele quer é ser feliz, andar tranquilamente na favela,poder se orgulhar.
    Compositores e cantores: Cidinho e Doca.

  2. COISAS DA VIDA
    O começar é simples e direto
    Facil, pratico e esperto
    Rapido e sem limites além de bem avançado
    Acontece de repente e senão vir junto, ta errado

    Dizem que viver é aprender
    Vivemos num lugar onde tudo nos faz sofrer
    Violencia, sangue e corrupção
    Que sob as leis, o beneficiado é o ladrão

    (Refrao)
    O DITADO DIZ: quem vence é só quem luta
    vivo,aprendo,luto e na minha mesa nao há uma fruta
    o lugar é triste e inseguro
    vivemos em guerra tentando visar o futuro”

    Em todo lugar,pessoas cegas por um véu
    Onde o amor nao vale e o que prevalesce é o papel
    A dor, violencia e falsa união
    Promessas vazias e que reina a corrupção

    Onde gente presencia historia e cria historia
    Vivendo seus dias de luta e raros dias de gloria
    Chorando vendo seus filhos fazerem a propria cova
    Vivendo no meio do trafico no meio das drogas

    (Refrao)
    O DITADO DIZ:quem vence é só quem luta.
    Vivo,aprendo,luto e na minha mesa nao há uma fruta
    o lugar é triste e inseguro
    vivemos em guerra tentando visar o futuro”

    Mães criam seus filhos em pleno esgoto
    Idosos acampam em filas esperando socorro
    Marido bate na mulher
    Num pais sem lei, que bandido faz o que quer

    Carros afundam em plena rua cheia de lama
    Mulheres corajosas, ganham a vida fazendo programa
    Idealistas,por paz fazem protestos
    Ao invés de sentarem e criarem projetos

    (Refrao)
    O DITADO DIZ:quem vence é só quem luta.
    Vivo,aprendo,luto e na minha mesa nao há uma fruta
    o lugar é triste e inseguro
    vivemos em guerra tentando visar o futuro”

    (allan junior 02) 9°e
    (natalia schwarz 21) 9°e
    (joslaine palinski 12) 9°e

  3. Futebol? futebol não se aprende na escola

    No país do futebol o sol nasce para todos mas só brilha para poucos
    E brilhou pela janela do barraco da favela onde morava esse garoto chamado brazuca
    Que não tinha nem comida na panela mas fazia embaixadinha na canela e deixava a galera maluca
    Era novo e já diziam que era o novo pelé
    Que fazia o que queria com uma bola no pé
    Que cobrava falta bem melhor que o zico e o maradona e que driblava até melhor que o mané
    Pois é
    E o brazuca cresceu, despertando o interesse em empresários e a inveja nos otários
    Inclusive em seu irmão que tem um poster do romário no armário
    Mas joga bola mal pra caralho
    O nome dele é zé batalha
    E desde pequeno ele trabalha pra ganhar uma migalha que alimenta sua mãe e o seu irmão mais novo
    Nenhum dos dois estudou porque não existe educação pro povo no país do futebol
    Futebol não se aprende na escola
    É por isso que brazuca é bom de bola

    Brazuca é bom de bola
    Brazuca deita e rola
    Zé batalha só trabalha
    Zé batalha só se esfola
    Brazuca é bom de bola
    Brazuca deita e rola
    Zé batalha só trabalha
    Zé batalha só se esfola

    Chega de levar porrada
    A canela tá inchada e o juiz não vê
    Chega dessa marmelada
    A camisa tá suada de tanto correr
    Chega de bola quadrada
    Essa regra tá errada, vâmo refazer
    Chega de levar porrada
    A galera tá cansada de perder

    No país do futebol quase tudo vai mal
    Mas brazuca é bom de bola, já virou profissional
    Campeão estadual, campeão brasileiro
    Foi jogar na seleção, conheceu o mundo inteiro
    E o mundo inteiro conheceu brazuca com a dez
    Comandando na meiúca como quem joga sinuca com os pés
    Com calma, com classe, sem errar um passe
    O que fez com que seu passe também se valorizasse
    E hoje ele é o craque mais bem pago da europa
    Capitão da seleção, tá lá na copa
    Enquanto o seu irmão, zé batalha,
    E todo o seu povão, a gentalha
    Da favela de onde veio, só trabalha
    Suando a camisa, jogado pra escanteio
    Tentando construir uma jogada mais bonita do que a grama que carrega na marmita
    Contundido de tanto apanhar
    Confundido com bandido, impedido
    Pode parar!!

    Sem reclamar pra não levar cartão vermelho
    Zé batalha sob a mira da metralha de joelhos
    Tentando se explicar com um revólver na nuca:
    Eu sou trabalhador, sou irmão do brazuca!
    Ele reza, prende a respiração
    E lá na copa, pênalti a favor da seleção
    Bola no lugar, brazuca vai bater
    Dedo no gatilho, zé batalha vai morrer
    Juiz apitou… tudo como tinha que ser:
    Tá lá mais um gol e o brasil é campeão
    Tá lá mais um corpo estendido no chão

    Brazuca é bom de bola
    Brazuca deita e rola
    Zé batalha só trabalha
    Zé batalha só se esfola
    Brazuca é bom de bola
    Brazuca deita e rola
    Zé batalha só trabalha
    Zé batalha só se esfola

    Chega de levar porrada
    A canela tá inchada e o juiz não vê
    Chega dessa marmelada
    A camisa tá suada de tanto correr
    Chega de bola quadrada
    Essa regra tá errada, vâmo refazer
    Chega de levar porrada
    A galera tá cansada de perder

    O país ficou feliz depois daquele gol
    Todo mundo satisfeito, todo mundo se abraçou
    Muita gente até chorou com a comemoração
    Orgulho de viver nesse país campeão
    E na favela, no dia seguinte, ninguém trabalha
    É o dia de enterrar o que sobrou do zé batalha
    Mas não tem ninguém pra carregar o corpo
    Nem pra fazer uma oração pelo morto
    Tá todo mundo com a bandeira na mão esperando a seleção no aeroporto

    É campeão da hipocrisia, da violência, da humilhação
    É campeão da ignorância, do desespero, desnutrição
    É campeão da covardia e da miséria, corrupção
    É campeão do abandono, da fome e da prostituição

    Brazuca é bom de bola
    Brazuca deita e rola
    Zé batalha só trabalha
    Zé batalha só se esfola
    Brazuca é bom de bola
    Brazuca deita e rola
    Zé batalha só trabalha
    Zé batalha só se esfola

    Chega de levar porrada
    A canela tá inchada e o juiz não vê
    Chega dessa marmelada
    A camisa tá suada de tanto correr
    Chega de bola quadrada
    Essa regra tá errada, vâmo refazer
    Chega de levar porrada
    A galera tá cansada de perder(2x)

    Chega de levar porrada!!

    Comentario:

    Achei o texto legal e bem imformativo. Rap não é o meu ritmo favorito, mas acho bem legal o que os rapes falam sobre a sociedade, seus problemas e conflitos …

  4. Quem sabe um dia
    Realidade Cruel

    Pra onde é que foi,onde é que tá
    a paz que tanto procuramo onde é que tá
    Cê pode me falar que eu já nem sei, as mães
    que choram pelos próprios filhos que se foram
    Eu sei bem é triste ver os muleke no farol
    bebê que nem nasceu dentro de um vidro no formól
    O bagulho é monstro cê tá nos morro então se esconde
    lá vem o CAVERÃO com sede pra abater os bonde
    Sobram tiros e mais tiros e balas traçantes
    em pleno meio dia toque de recolher os traficantes…

    A musica é muito interessante, pois retrata a realidade de hoje em dia. Aonde o autor se pergunta ”Aonde que está a paz que tanto procuramos?”
    O rap é um estilo musical em que muitas vezes retrata a realidade cruel em que a sociedade vive.

  5. São 2 da manhã, eu de calça e blusa/ um tempo frio, do céu cai chuva/ eu sou sozinho
    parceiro e é foda/ com meu destino ninguém mais se importa/ chegar ao ponto que cheguei é
    lamentável/ estado físico inacreditável/ eu sinto crise, eu sinto convulsão/ é muito triste meu
    estado, sangue bom/ 30 quilos mais magro, vai vendo/ o resultado é pura essência do veneno/ o
    vício tira a calma, a cabreiragem me acelera/ o demônio rouba a alma, o inferno me seqüestra/
    cadê a luz que vem lá do céu? / cadê Jesus pra julgar mais este réu? / tenho vontade de morrer
    constantemente/o descontrole da mente me deixa impaciente, e é foda/ eu saio que nem louco
    pela rua/ único mano, é o cano na cintura/ eu preferia ta falando de amor/ falando das
    crianças, e não da minha dor/ mais eu sou o espelho da agonia de um homem/ sem identidade,
    caráter, sem nome/ sem Mercedez, Audi ou Mitsubishi/ consumidor da praga do apocalipse/ tão
    jovem, sem esperança de vida/ tão novo, e já suicida/ são 2 da manhã e faz chuva. O pesadelo
    ainda continua.

    Um dia frio,
    Um bom lugar pra ler um livro.
    Pensamento lá em você,
    sem você não vivo. {depoimento de um viciado}

    Eu comecei de forma curiosa/ um cigarro de maconha não era droga/ era o que todo
    mundo me falava/ experimentei, nem eu mesmo acreditava/ primeira vez, outra sensação/
    segunda vez, mó barato, ilusão/ produto dos sonhos, me sinto mais leve/ enquanto isso meus
    neurônios fervem/ sentia fome/ sentia a viagem /eu observava de longe as paisagens/ a fumaça
    me deixava cada vez mais louco/ sem perceber, eu já era o próprio demônio/ segundo passo, veio
    a cocaína/ morava com minha mãe/ me lembro da minha “”””””””Felícia””””””/ cheirava comigo sem parar/ 2
    loucos 24 horas no ar/ parei com o estudo, perdi até o trampo/ ganhei o mundo, e uma desilusão e
    tanto/ perdi a minha própria mãe, que trauma/ morreu de desgosto por minha causa/ nem assim eu
    consegui parar/ só a morte pode me libertar/ eu roubava pra sobreviver, ou melhor/ pra manter o
    vício, e não morrer de dó/ Suicídio, e lento era o processo/ eu nunca fui estrela, eu nunca fui
    sucesso. Contaminado HIV positivo/ Qual a diferença do inimigo pro perigo? Aí/ são 2 da manhã
    e faz chuva, o pesadelo ainda continua/ Continua ladrão, o pesadelo ainda continua.

    Um dia frio,
    Um bom lugar pra ler um livro.
    Pensamento lá em você,
    sem você não vivo. {depoimento de um viciado}

    Amigo, aí, eu falei esta palavra/ me desculpa, foi erro, não pega nada/ eu nunca tive
    amigo nessa porra/ só prejuízo na vida, de ponta a ponta/ mas quem vai se importar, eu sou penas
    mais um/ aidético viciado, infelizmente comum/ mais um entre mil ou um milhão, ladrão/ escravo
    desta triste detenção/ eu não sou Rafael e nem a Vera Fischer/ a minha história, parceiro é mais
    triste/ eu nunca engoli escova de cabelo/ mas já matei pelo crack e por dinheiro/ puta que
    pariu, o inferno me chama/ quem sabe lá eu consiga a fama ou drama/ ou a lama de fogo eterno/
    condenado à escuridão do inferno/ eu sou um louco de intensa a coragem/ com o ferro a favor
    do crack/ não sei se a malandragem é minissérie ou história/ mas sei que a carreira parceiro é
    sem glória/ vou tentar não matar mais ninguém/ chega de ser refém, eu preciso é do bem/ vou
    entregar a Deus a minha vida/ vou acreditar nas palavras da Bíblia/ arrependido de todos os
    pecados/ ter conseguido escapar do diabo/ espero que a minha história sirva de exemplo/ pra
    quem ta começando, parceiro como eu comecei/ que se afaste das drogas enquanto há tempo/ pra
    não provar do veneno que eu provei/ é embaçado sangue bom, vai por mim/ tudo nesta vida tem
    um fim/ são 2 da manhã, faz chuva/ eu vou orar pela minha alma e pela sua/ é madrugada e faz
    chuva/ eu vou orar pela minha alma e pela sua.

    Um dia frio,
    Um bom lugar pra ler um livro.
    Pensamento lá em você,
    sem você não vivo. {depoimento de um viciado}

    Essa música fala do cara chamado Rafael,ele conta como ele entrou nas drogas,como foi a sensaçâo da primeira vez……e no final da música ele fala pra quem ta começando agora é pra parar porque isso não presta.

  6. REALIDADE CRUEL:SENTIMENTO: 99 domingo 19 de dezembro
    tivemos um sono São Bernardo
    Uma visita aos detentos
    Lição de vida, conselhos
    O clima não é tenso
    Saudade, solidão,
    Respeito e paz no momento
    Realidade cruel dia de visita
    Uma pa de visitante da periferia
    Face da morte, cenas do crime
    Cenas do cotidiano
    Que aqui o jornal não imprime
    Eu vi a verdadeira escola do arrependimento
    Lagrimas escorrem do olhar de detentos
    Porque sentimento não é matar
    Só morre pobre
    Respeito, recepção por conta do mano Jorge
    Com água, refrigerante disse:
    Que o povo é ignorante
    Com isso p pobre sofre
    Só vive lá fora na poeira da estrada
    E no fim da carreira
    É aposentado em uma cela gelada
    Aqui no inferno você vê alguém morrendo
    Tanto sofrimento vendo filho bandido aqui dentro
    Encarcerado, talvez baleado
    Não escapou do assassino matador registrado
    Sem repórter sem julgamento
    Rebelião, pânico, sangue no chão de cimento
    A confiança no próximo não existe mais
    O bolo podre faz ladrão te esfaquear por traz
    Cadê a paz, se o sol nasceu pra todos
    Se você não vê a luz dele pra que da asa ao demônio?
    Liberdade é o objetivo
    O ser humano não nasceu pra viver em presídio

    (Refrão)

    Liberdade é meu sonho sei que sou capaz
    Mundo do crime,sanguem, bom nunca mais
    Eu quero ser orgulho pra minha família
    O condenado aqui implora pior justiça

    2x

    Ai bandido, bandido veja só
    Sujeito homem mais ta ai se acabando no pó
    Dinheiro na boca e se esquece da família
    Oh meu deus
    Porque existe o crack e a cocaína
    Porque exite um alcolatra na calsada
    Sem emprego sem famílha
    Vida desperdiçada
    Meu trauma
    È que aqui eu não vejo respeito
    Só vejo coroa de flores e mãos no peito
    Desse jeito braço direito de lúcifer você é
    Um guerreiro por pouco tempo de pé
    Sonho, eu sei que todo pobre te
    Não quero ir pro Carandiru e sim pra Jerusalém
    Mais bem alem de todo esse inferno
    Aqui o ser humano não vive um terço de um século
    Será q eu estou errado?
    Não ando mais armado
    Não sou mais alma q lúcifer tinha explorado
    Se ou for odiado é por poucos
    Porque falo pra muitos
    Sou flagrante Deus vai te tirar desse submundo do crime
    Suicídio da favela
    Quantos mais irão morrer nessa terra
    Não sei, só sei que o fim dos tempos esta chegando parceiro
    O perdão é a palavra longe do desespero
    Porque o erro, o pecado andam lado a lado
    Traição, mentira, caixão lacrado
    Costurado formol
    Brasil penta campeão do crime e do futibol
    Porque tanto sangue derramado?
    Periferia ignorante I.M.L. lotado

    (Refrão)

    Liberdade é meu sonho sei que sou capaz
    Mundo do crime,sanguem, bom nunca mais
    Eu quero ser orgulho pra minha família
    O condenado aqui implora pior justiça

    2x

    Oh meu Deus ilumine minha mente
    Que minha letra transforme muita mente doente
    O psicólogo do ladrão
    Que minha expiração faça uma cirurgia, uma operação de ação
    Duas e vinte da manha
    Poderia esta dormindo com minha mulher e meus filhos
    Mais não
    Estou aqui pensando no meu povo
    Estou tentando te livrar da morte de novo
    Talvez seja a ultima vez
    Nosso futuro é escuro
    Minha vida é um livro aberto
    O rap é meu escudo
    Não sei se vou estar vivo
    Com o prosseder o pobre morre na mão da policia
    E não na mão de bandido mais
    Daqui pra frente vou na pura calma não
    Vou dar motivos pro demônio bater palmas
    Periferia, pra que se matar?
    Enquanto houver guerra não haverá justiça divina
    Leandro, que Deus o tenha em um bom lugar
    Me lembro do ultimo churrasco
    Trocamos idéia até de madrugada
    Em sua casa com… Osmar e o Daniel
    No crime o suicideo é lento possesso é cruel
    Pode ser podre mais conheço pessoas sinceras
    Pessoas que com o descaso estão jogados em celas
    Nesse momento alguém morre por drogas por pedra
    Nesse momento a fome revolta e gera guerra

    (faltou o comentário)

    NOMES:Deise,Pamela,Monica,Rayane
    NUMEROS:8,22,20,23
    SERIE:9 ano E

  7. Nome da Música: Rap da Favela
    Cantor: Naldinho e Renato

    Humildemente a gente vai manda assim
    Eu sou MC Naldinho e eu sou Renato MC
    Entre morros e favelas vou falar
    A realidade pois agora vai escutar

    Paz eterna para todos, DJ!!!

    Amigo, eu moro na favela, sim, senhor
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Amigo, eu moro moro moro
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Moro num lugar maravilhoso
    Onde todos tem coragem de lutar para vencer
    Para vencer
    Moro na favela agitada
    Onde a rapaziada unida pra valer
    Vem ver para crer
    Vem vem
    O ano todo, a vida aqui muda demais
    Com a tristeza querendo atormentar
    É criancinha precisando de atenção
    A mãe sofrendo faz encrenca com o patrão
    Aqui a gente sempre luta por melhor
    Mas a sociedade leva a gente pra pior
    Desempregado se acabando embriagado
    Alguns se matam vendo a vida piorar
    Sua mulher segura o filho em sua casa
    Fazendo lista pra fazer seu funeral
    O filho cresce analfabeto e sem infância
    Ai, minha gente, quem trabalha e a criança
    Alguns aceitam, outros ficam revoltados
    E na cabeça o mal começa a rondar
    Alguns amigos vendo ele se envolver
    Chamam no conselho e eles aceitam com prazer
    Banco de sangue na cidade a fila é grande
    Só tem favelado querendo sangue doar
    A humildade é nossa arma preferida
    Nós temos pouco, mas queremos ajudar
    Ainda digo que no morro e na favela
    Só mora pobre, mas só mora sangue bom
    Falando claro, a vida aqui é um barato
    E todos nós que moramos somos irmãos

    Amigo, eu moro na favela, sim, senhor
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Amigo, eu moro moro moro
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    E quem dá respeito gosta de ser respeitado
    Seja moreno, branco, preto ou mulato
    Já não agüento por aí ser avistado mal
    E peço, moço, deixa a gente na legal
    Nós só queremos o direito de viver
    Nós não pedimos ninguém para nascer
    Enquanto rico vive bem acomodado
    O pobre vive na favela esculachado
    Se está na esquina conversando na moral
    Quando eles chegam nos chamam de marginal
    Acostumado com esse jeito de viver
    Eu pergunto a Deus o que fizemos pra sofrer
    Nesta vida, da desgraça eu acho graça
    Dou gargalhada, mas não adianta nada
    É tristeza e alegria ao mesmo tempo
    Essa angústia aqui dentro eu vou vivendo
    Tem gente que fala mal dos morros e das favelas
    Porque não vem passar um dia em uma delas
    Apesar desse problema no lugar,
    Tenho certeza que um dia vai mudar

    Amigo, eu moro na favela, sim, senhor
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Amigo, eu moro moro moro
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Amigo, eu moro na favela, sim, senhor
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Amigo, eu moro moro moro
    Não tenho vergonha de lá viver
    Nós somos pobres, mas também temos direito
    De ser um povo satisfeito e sem sofrer

    Alegria

    Nomes: José e João n°: 23,20 9° B

    Gostamos do rap pois fala sobre a vida na favela e, que todos temos direitos não importa se é negro, rico, pobre o que importa é o carater da pessoa.

  8. Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.
    Fé em Deus, DJ

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.

    Mas eu só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    Minha cara autoridade, eu já não sei o que fazer,
    Com tanta violência eu sinto medo de viver.
    Pois moro na favela e sou muito desrespeitado,
    A tristeza e alegria aqui caminham lado a lado.
    Eu faço uma oração para uma santa protetora,
    Mas sou interrompido à tiros de metralhadora.
    Enquanto os ricos moram numa casa grande e bela,
    O pobre é humilhado, esculachado na favela.
    Já não aguento mais essa onda de violência,
    Só peço a autoridade um pouco mais de competência.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, han.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.
    Mas eu só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, é.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    Diversão hoje em dia, não podemos nem pensar.
    Pois até lá nos bailes, eles vem nos humilhar.
    Fica lá na praça que era tudo tão normal,
    Agora virou moda a violência no local.
    Pessoas inocentes, que não tem nada a ver,
    Estão perdendo hoje o seu direito de viver.
    Nunca vi cartão postal que se destaque uma favela,
    Só vejo paisagem muito linda e muito bela.
    Quem vai pro exterior da favela sente saudade,
    O gringo vem aqui e não conhece a realidade.
    Vai pra zona sul, pra conhecer água de côco,
    E o pobre na favela, vive passando sufoco.
    Trocaram a presidência, uma nova esperança,
    Sofri na tempestade, agora eu quero abonança.
    O povo tem a força, precisa descobrir,
    Se eles lá não fazem nada, faremos tudo daqui.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar, eu.
    Eu, só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar, é,
    O pobre tem o seu lugar.

    Gostei muito da música, ela mostra como as pessoas ricas são e como são os pobres , e que até no baile os pobres são humilhados

  9. O Brasil por outro lado
    vamos pensar..
    o que e preciso para melhorar
    enquanto os playboy estão na escola
    a gente tá na rua aprendendo a usa uma pistola
    eles tão lá pegando o lanche
    a gente ta aqui preparando uma revanche
    uma gerra para ajudar
    os que tão na rua sem lugar para morar
    mas o governo só faz piorar
    agora que a maioria parou de fumar..
    vamos pensar..
    o que e preciso para melhorar
    enquanto os playboy estão na escola
    a gente tá na rua aprendendo a usa uma pistola
    eles tão lá pegando o lanche
    a gente ta aqui preparando uma revanche
    uma gerra para ajudar
    os que tão na rua sem lugar para morar
    mas o governo só faz piorar
    agora que a maioria parou de fumar..

  10. Música: Vida na Periferia
    Cantores: João, Augusto, Luiz, José, Matheus D.

    Vida na Periferia

    Mano se liga na vida
    Pois nada é fácil
    Corra atrás e persiste
    Ou fica parado e desiste.

    Na favela tudo acontece
    Ou você bate ou corre
    Ou mata ou morre.

    Mano se liga na vida
    Na periferia viva a vida
    Trabalhe com sabedoria
    E tenha direito a cidadania.

    Na cidade na rua
    Na casa no hospital
    Você pode estar em perigo
    Cuidado pra não se dar mal.

    Na periferia não é só crime
    Lá sua vida é você que define.

    Esse é o nosso Rap feito em sala!

  11. CORRUPÇÃO NO BRASIL

    A corrupçao é um sistema
    pior que um assalto
    identificam o inimigo as
    presas e os caboclos

    É dali que sempre começa
    todo tiroteio mas se a
    mente for fértil não
    tem problema ser feio

    Seis podem até achar
    que eu sou exagerado mas X2
    se assunto for dinheiro
    político é consagrado

    Essa é a realidade
    firme e forte na verdade
    muitas pessoas vivem de
    aluguel faço resumo da
    minha vida num papel

    E as loucuras rolando
    direto dia ápos dia
    tem o bullyng o cyber X2
    bullyng e a homofobia

    E os políticos pensando
    no jeito de ser de fazer
    de mandar ver de não se
    esconder de não se esconder
    de não rebater de surpreender
    são coisas que você aprende
    prestando a atenção olha
    pra ele que ele te convida pra
    sua mansão.

    nomes:
    (João Vitor Gomes do Nascimento número:30)
    (Daniel Augusto número:6)
    (Mateus número:18)

  12. joao vitor n: 30 e daniel n:06
    Opa tem o estilo Gangnam
    Estilo Gangnam
    Uma mulher que é quente e amorosa durante o dia
    Uma mulher elegante que saiba apreciar um convite para uma xícara de café
    Uma mulher cujo coração se aquece, ao chegar à noite
    Uma mulher que mostre esses dois lados

    Eu sou um cara
    Um cara que é quente durante o dia, que nem você
    Um cara que toma seu café todo dia antes mesmo que ele esfrie
    Um cara cujo coração explode quando chega a noite
    Aquele tipo de cara

    Bonito, adorável
    Sim você, ei, sim é você, ei
    Bonito, adorável
    Sim você, ei, sim é você, ei
    Agora vamos até o fim

    Opa tem o estilo Gangnam,
    Estilo Gangnam
    Opa tem o estilo Gangnam,
    Estilo Gangnam
    Opa tem o estilo Gangnam

    Eh sexy lady
    Opa tem o estilo Gangnam
    Ehh sexy lady
    Ooooh

    Uma mulher que pareça inocente, mas que quando joga, joga pra valer
    Uma mulher que joga o cabelo na hora H
    Uma mulher que é sexy mesmo sem se mostrar muito
    Uma mulher sensual assim

    Eu sou um cara
    Um cara educado, mas que quando tem que jogar, joga pra valer
    Um cara que vai a loucura na hora H
    Um cara que tem mais ideas do que músculos
    Aquele tipo de cara

    Bonita, adorável
    Sim você, ei, sim é você, ei
    Bonita, adorável
    Sim você, ei, sim é você, ei
    Agora vamos até o fim

    Opa tem o estilo Gangnam,
    Estilo Gangnam
    Opa tem o estilo Gangnam,
    Estilo Gangnam
    Opa tem o estilo Gangnam
    Ehh sexy Lady
    Opa tem o estilo Gangnam,
    Ehh Sexy Lady

    Oooo

    Acima do homem que corre está o homem que voa,
    Baby baby, eu sou um cara que sabe uma coisa ou duas
    Acima do homem que corre está o homem que voa,
    Baby baby, eu sou o homem que sabe uma coisa ou duas

    Você sabe do que estou falando

    Opa tem o estilo Gangnam
    Ehh Sexy lady
    Opa tem o estilo Gangnam
    Ehh Sexy lady
    Opa tem o estilo Gangnam
    Hit de sul-coreano Psy tem crítica social por trás de refrão viciante
    Rapper ‘caipira’ ironiza bairro de novos ricos de Seul em ‘Gangnam style’.
    Conheça a história da vizinhança, do artista peculiar e do sucesso mundial.

  13. Defeitos

    Quem procura a verdade
    sabe o que quer
    Quem pensa com dignidade
    usa a sua fé
    Para todos vim aqui lhes falar
    quem sabe o que quer vai se diferenciar

    Não se engane como a nossa nação
    A cidadania não acontece todo dia
    Com a sabedoria a gente se diferencia
    Com as lutas de todo dia

    Sabemos quem é ladrão
    E de quem é irmão
    Mas não a nossa nação
    que é cheia de corrupção
    e dinheiro na mão

    A escola nem muitos frequentam
    mas não é por causa deste defeito
    Que todos tem a dizer o que está correto
    sem mesmo saber o caminho certo

    Elisa Kracke 09, Dhayane 06, Carolina 04, Anna Caroline 03

  14. Ei, meu nome é Projota
    Na produção: Eu memo também
    Foco, força e fé!

    Me lembro bem de quando escolhi fazer rap
    E fui encontrar o caminho onde o homem evolui.

    Tava cansado do que o mundo oferecia de bandeja
    E fui atrás sabia que existiria mais.

    Por trás das leis, por trás da verdade forjada
    Encontrei amigos e um sonho nessa caminhada.

    Se deus me deu caneta, eu devolvi poesia,
    Passei decorar todos os rap que eu ouvia.

    E um dia, comprei uma corrente que tinha cor de prata
    Mas não era de prata, reciclagem de lata.

    Comprei duas camiseta GG
    E a calça mais larga que a loja podia vender.

    Me senti mais vivo, funcionava como incentivo.
    Mais um motivo pra eu acalmar meu lado agressivo.

    Depois joguei tudo isso fora, enfim.
    Tava maduro pra enxergar que o rap já tava dentro de mim.

    Tipo Daniel San, mestre Miyagi
    O karatê que vem de dentro da alma, não há quem pague.

    Pupilo consciente, mostrei dedicação
    Meu coração é uma junção de Brown, Mv e Elhão

    Sou os tiozin nos bares, fujo da solidão;
    Sou família nos lares, fujo da multidão.
    Sou zumbi dos palmares, fujo da escravidão.
    Mas meu quilombo é fone nos ouvido e rap pesadão.

    Somos Notorious B.I.G,também somos 2pac
    Irmão que saí do crime, pivete que larga o crack

    O rap é piripaque no seu sistema nervoso.
    Do caminho que eu escolhi, hoje eu sou orgulhoso.

    Muita treta chegar, mas ainda manter.
    Se a caneta estourar, vou sangrar pra escrever
    A dedo pra que a nossa honra seja mantida
    Pois quem tem medo de sofrer não merece o melhor da vida.

    E é tão fácil alegrar meu povo
    Acostumado a agradecer pra Deus por ter um pão com ovo

    Querem mais, sem saber o quanto existe mais
    Lembro bem a alegria que trás o cheiro de um tênis novo.

    Sorte, não sei se isso existe de verdade
    Aqui na perifa, eu nunca ganhei uma rifa.

    Com sinceridade, sorte é escapar da maldade,
    Alguns acreditam em anjos, eu acredito em amizade

    Zumbi lutou tanto pra alcançar a liberdade
    Tiradentes teve o corpo espalhado pela cidade
    Hoje a liberdade tá aí, toda liberta
    Pergunto será que a gente utiliza de forma certa? Não!

    Esse mundo é um saco de fingimento
    Eles fingem alimentar, nós fingimos ter alimento
    Eles fingem educar, nós fingimos ter educação.
    Conclusão, nóis somo memo um bando de cuzão!

    Tá na hora de mudar
    Meus sonhos já dormiram por tempo suficiente, agora é hora de acordar!
    Mais consciente do que quando eles lavaram nossas mentes
    Abre o olho, daqui pra frente vai ser diferente!

    Deus faz homens, igreja faz fiéis
    Escola faz alunos, a vida e seus papéis.
    Cadeia faz tristeza
    Rua, poluição
    Cidade, desmatamento
    A morte, aceitação.

    Dinheiro faz quase tudo
    Vontade faz quase nada.
    Silêncio, sabedoria
    O som, festa na quebrada!
    A luta por um ideal abre a porta da caminhada
    Humildade faz com que essa porta não seja fechada.

    O homem faz guerra, o homem quer paz.
    O homem se enterra, o homem nem sabe mais,
    Problema faz depressão, sistema faz opressão.
    E você, faça mais do que pegadas nesse chão!

    Irmão, você não é uma planta, você tem escolha, tá ligado?
    Você pode escolher se você vai fazer
    O simples , o normal , aquilo que esperado de você já
    Ou se você vai supreender, tá ligado?
    Surpreenda, irmão. Surpreenda
    Faça mais, faça mais, tá ligado?
    Eu acredito em você!
    Matheus Esteves Leal 9C N 26

  15. Se segura na cadeira “REALIDADE” tá de volta
    Empunho a bandeira honrosamente traz a glória
    Pra quem anciosamente aguardou por 4 anos
    Foram longas caminhadas mas por Deus aqui estamos
    E juntos lado-a-lado mesmo na dificuldade
    E quantas vezes atormentados pela sombra da maldade
    Em verdade um dia tive o coração no crime
    A mente acelerada pra explodir a cena é triste
    Só eu sei oque passei várias noites,madrugadas
    Sentindo o orvalho na pele ,a mão gelada
    Por dentro só rancor amargura infinita
    um DAVI sem ter amor derrotando um GOLÍAS por dia
    Almejei também quem não gostaria
    Vários carros na garagem ,mansão com piscina
    È assim quantos que não vi igual à mim
    Que sonharam muito mais e anteciparam o fim
    Chorei pelas almas daqueles que partiram
    De forma inocente deixando somente prus filhos
    O sobrenome e a lembrança de um pai
    Que nos corres tenta a sorte nem sequer vai voltar mais
    Bicho feio,o céu escureceu e caiu raios
    O irmão ali ligou óó…

    “Deus deve estar zangado,
    uma par de fita besta uma par de cara hipócrita
    que olha pra vc,que murmura e que roda
    pique meio julgando como se fosse o Mestre
    maquinando o que cê tem,o que cê ganha,oque cê deve
    o carro que vc dirije o tênis que cê calça
    se o celular tem chipe pra atacar sua calma
    olha pra vc veja só cê num intende
    que hoje tá pior,bem pior que antigamente
    tem mina indo pra cama pra depois ir fumar cráck
    com corpo de criança e 11 na identidade
    muleke nos cortiço de bermuda aveludada
    de toca na cabeça e na cinta umas quadradas…”

    Irmão eu tô ligado o bagulho tá mó zica
    Ocê num tá errado leio as santas palavras da Bíblia
    Todos os dias olho pro céu e ainda penso
    Meus filhos vão crescer nesse mar de sofrimento
    É polícia que extermina,corrupção ,politica
    Cifras que corrompem a balança da justiça

    “Ei podridão infelizmente eu sei bem,o
    Diabo te da mão pra depois te tomar oque cê tem”

    E veja bem não é conversa nem paródia
    Eu que já tive na mira de tiro da ROTA
    Posso te falar que hoje não me encanta tanto
    Os BULLOVA ,os cordão de ouro branco ,
    Os pião de criminoso, de whiske e energético
    Glóck entupetada no bolso, outro incrédulo.

    [Refrão]
    Infelizmente veja só com é que é as favela chora
    Se tem fuzil sobre os tripé e tem criança morta
    Eu sei que é foda, o inimigo não tem piedade
    Mata na crocodilagem com ódio e crueldade
    E na verdade tinha que ser diferente
    O RAP veio pra denunciar ,bater de frente
    Não importa se eles vão falar que nóis é apologia
    Ainda tem sangue voando nos pára-brisa…

    Dá licença aqui da palavra da licença,
    A mina que não tem meias palavras da licença
    Eu não sou daquelas que cê vê de silicone
    De bunda empinada dentro das LAND ROVERS
    De cheque especial de brinco e gargantilha
    Com jóias de cristal e contas na SUIÇA
    Eu não sou, sou apenas mais uma que vem do crime
    Com sede de justiça e na veia correndo apetite
    Disposição prus BANG de mil grau
    Envolvida de coração e não pelo vil metal
    Vi mortes ,parceiros que jogaram a vida pro alto
    E acabaram com os crânios furados no asfalto
    Ostentação que conduz de forma mágica
    Morrer outro irmão sem JESUS de forma trágica
    Louca,vida louca ,vida bela ,bela vida
    O que um dia foi SODOMA hoje é periferia
    Pelo amor,aos 4 cantos é orgia e luxúria
    Só terror e daqui de baixo ainda vejo a lua
    Da favela como lampada em meio a madrugada
    O jornal que cobre a criança em cima da calçada
    É o mesmo que infelizmente vem e traz noticia…

    “- Show na praça da SÉ termina em selvageria”
    Presta atenção vagabundo que o sistema quer te ver
    Dentro da cova ou então quer te ver de algema
    É muita trêta mais cê num intendi o propósito
    Que no final da cena não tem jogador de PÓLO
    Nem sequer socialigth ,executivo ou herdeiro
    Caminhando pela paz em pról dos favelado ou dos preto
    São reféns do capital acumulado
    É camera 24 horas ,carro blindado
    Aqui no inferno héliporto e táxi aéreo
    Pra não ver o próprio sangue tingindo o concreto
    Pelo muleke de oitão que sem dó puxa o gatilho
    Na reta do seu coração,na frente do seu filho
    Diz pra mim se não é melhor TÊNIS em
    ROLLAND GARROS com dinheiro da obra super faturada
    Pra depois aparecer com advogado rindo no jornal
    Conduzido a cárceragem da POLÌCIA FEDERAL
    Tomar café e sair fora com HÁBIAS CORPUS concedido
    E depois presentear com carro e moto o juíz corrompido
    É mesmo incrível e eu nem sei como é que é
    Apenas oque digo é que tamo ai de pé
    Cada vez mais CRUEL com fúria no raciocínio…
    “- Se segura na cadeira que aqui o abalo sísmico”
    Tá de volta, tá no ar e veio pra devastar…
    “- Mais tenebroso que rajada de AK”
    Não importa se eles vão falar que o RAP é apologia
    Ainda tem sangue voando nos pára-brisa…

    [Refrão 2x]
    Infelizmente veja só com é que é as favela chora
    Se tem fuzil sobre os tripé e tem criança morta
    Eu sei que é foda, o inimigo não tem piedade
    Mata na crocodilagem com ódio e crueldade
    E na verdade tinha que ser diferente
    O RAP veio pra denunciar ,bater de frente
    Não importa se eles vão falar que nóis é apologia
    Ainda tem sangue voando nos pára-brisa…
    Rúbia Kolln 9C N30

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s