Atividades em relação ao gênero textual música. Estilo- RAP

Como já estudamos anteriormente, em sala de aula, e depois de ler e analisar as especificidades do gênero em questão, postado neste mesmo Blog, no dia 12/14/2013, cada aluno, individualmente ou em duplas, deverá:

df99c0f5b3aa51450ee35f10ed397da9

ATIVIDADE 01

(A) Pesquisar a letra  de um novo Rap, além do estudado em sala.

(B) Escutar com atenção e registrar os assuntos e ou/temas sobre o que fala a letra, lembrando que o estilo em questão é utilizado para evidenciar, denunciar ou enfatizar problemas, e ou dificuldades, envolvendo a sociedade de forma geral.

(C) Postar no Blog, no item, Gênero textual Música, a letra da música, ou parte dela, o endereço de onde foi tirada, o ou os autores, e a análise feita sobre a mesma.

 

ATIVIDADE 02.

Poderá ser feita em duplas, ou trios. (O início dos trabalhos será em sala de aula).

Criar, produzir, inventar a letra de um novo Rap, observando as especificidades e características do estilo.  Pensar, relembrar os temas trabalhados até agora: aceitação das diferenças, diversidade, bullying, cyberbullying, homofobia, o jovem atual- medos, desafios, e ações, para a construção de nova sociedade, de um mundo mais humano… de paz…

As letras deverão ser inéditas.

Cada grupo deverá enviar a sua letra para o emai..verassatti@hotmail.com.

Apresentar para os demais da sala, com ou sem música (base), ou filmado/gravado. Poderão ser utilizados diferentes suportes tecnológicos para as apresentações.

O grupo ficará responsável para comentar sobre a letra criada.

As datas para a entrega dos trabalhos será postada no facebook, do Colégio, da professora, e nos grupos fechados por turma.

rap1

 

79 thoughts on “

  1. As NOSSAS CRIANÇAS
    No mundo existem 113 milhões de crianças fora das escolas.O Brasil quase atingiu a meta ao incluí- lo nas escolas ,com mais de 57 milhões de estudantes matriculados em todas os níveis de ensinos.
    Nossas crianças apenas freqfentam , as salas de aula , sem aprendizagens ou desenvolvimento . O lugar de onde vem a educação sempre foi a solução hoje em dia nas escolas o que falta é a EDUCAÇÃO.
    O que falta é EDUCAÇÃO (2X)
    Agora é a minha vez dizer o que deve ser dito , você deve sonhar e realizar , sempre seguir em frente ,o mundo não irá mudar sozinho , corra pra um lugar melhor.
    Tem um mundo grande lá fora , onde só sobrevive os mais fortes. Racismo , bullying ,homofobia e pobreza , isso não motivo pra te colocar pra baixo, levante –se e lute tudo que você conquista vem da sua glória .
    O que falta é EDUCAÇÃO (2x)
    E eu estou aqui , passando a minha visão , do que deve ser feito pra melhorar a educação .
    EDUCAÇÃO , EDUCAÇÃO (2X) .

    AUTORES
    Carla ,Viviane ,Carolina ,Jéssica

  2. Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.
    Fé em Deus, DJ

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.

    Mas eu só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    Minha cara autoridade, eu já não sei o que fazer,
    Com tanta violência eu sinto medo de viver.
    Pois moro na favela e sou muito desrespeitado,
    A tristeza e alegria aqui caminham lado a lado.
    Eu faço uma oração para uma santa protetora,
    Mas sou interrompido à tiros de metralhadora.
    Enquanto os ricos moram numa casa grande e bela,
    O pobre é humilhado, esculachado na favela.
    Já não aguento mais essa onda de violência,
    Só peço a autoridade um pouco mais de competência.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, han.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.
    Mas eu só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, é.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    Diversão hoje em dia, não podemos nem pensar.
    Pois até lá nos bailes, eles vem nos humilhar.
    Fica lá na praça que era tudo tão normal,
    Agora virou moda a violência no local.
    Pessoas inocentes, que não tem nada a ver,
    Estão perdendo hoje o seu direito de viver.
    Nunca vi cartão postal que se destaque uma favela,
    Só vejo paisagem muito linda e muito bela.
    Quem vai pro exterior da favela sente saudade,
    O gringo vem aqui e não conhece a realidade.
    Vai pra zona sul, pra conhecer água de côco,
    E o pobre na favela, vive passando sufoco.
    Trocaram a presidência, uma nova esperança,
    Sofri na tempestade, agora eu quero abonança.
    O povo tem a força, precisa descobrir,
    Se eles lá não fazem nada, faremos tudo daqui.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar, eu.
    Eu, só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar, é,
    O pobre tem o seu lugar.

    Diversão hoje em dia, nem pensar.
    Pois até lá nos bailes, eles vem nos humilhar.
    Fica lá na praça que era tudo tão normal,
    Agora virou moda a violência no local.
    Pessoas inocentes, que não tem nada a ver,
    Estão perdendo hoje o seu direito de viver.
    Nunca vi cartão postal que se destaque uma favela,
    Só vejo paisagem muito linda e muito bela.
    Quem vai pro exterior da favela sente saudade,
    O gringo vem aqui e não conhece a realidade.
    Vai pra zona sul, pra conhecer água de côco,
    E o pobre na favela, passando sufoco.
    Trocada a presidência, uma nova esperança,
    Sofri na tempestade, agora eu quero abonança.
    O povo tem a força, só precisa descobrir,
    Se eles lá não fazem nada, faremos tudo daqui.

    Eu só quero é ser feliz,
    Andar tranquilamente na favela onde eu nasci, é.
    E poder me orgulhar,
    E ter a consciência que o pobre tem seu lugar, é.
    Eu, só quero é ser feliz, feliz, feliz, feliz, feliz, onde eu
    nasci, han.
    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.

    E poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu
    lugar.
    Autor : Paulo Oliveira musica: Eu só quero é ser feliz

    COMENTÁRIO:
    Na música ele retrata como todos podem ver é que ele apenas quer ser feliz,poder andar tranquilo,ter a vida normal.Pois essa é a grande realidade da favela,todos desejam viver em paz,pois não é fácil viver daquele modo.As crianças já crescem com o pensamento de sair desse lugar,é triste a realidade lá dentro.Mais com fé eles lutam pra um dia ter uma vida melhor.

  3. Medo Real

    Quem diria um dia
    O medo te iludia
    O sonho acabo
    A vida começou

    O medo esta em tudo quanto é parte
    Tanto na periferia quanto na cidade
    Longe do medo longe da ilusão
    Quem diria um dia todos ser irmãos.

    A vida não tem só ilusão
    Tem aprendizagem com educação
    Tenha fé no pai
    Que o medo se distrai.

    Meu maior medo
    É violência e preconceito
    Por causa disso
    Eu tenho respeito

    Não tenha medo de quem você é
    Siga em frente com fé
    Delete sua ignorância
    Não tenha medo e sim esperança

    É nos rimando pra você
    Com sabedoria e prazer
    Só temos 14 anos
    E já sabemos oque queremos ser.

    Autor:Matheus Da Silva Dornelles
    Autor:Luis Henrique Spada Bohnen
    Numeros:28,26
    Sala:9ºB

  4. Ter que se iludir ao ser encontrado
    Com mecanismo de uma bruta ilusão
    E não sentir o que é real, o que é viver.

    O que é ser, se já não sente
    Se ser drogado e ânsia de não ter querer
    Para que fugir, se os problemas
    Vão, vão amanhecer com você
    E não tem fim.

    Droga, é só querer usar mais droga
    Pois há tantas coisas para saber
    Tantos caminhos e rumos para enfrentar
    Conquistas para você realizar
    Pois largue a seringa e pare de
    se esconder, pois isto é uma covardia
    pois pare e pense em você e sua
    vida daqui em diante.

  5. Até Quando?
    Gabriel O Pensador

    Não adianta olhar pro céu
    Com muita fé e pouca luta
    Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer
    E muita greve, você pode, você deve, pode crer
    Não adianta olhar pro chão
    Virar a cara pra não ver
    Se liga aí que te botaram numa cruz e só porque Jesus
    Sofreu não quer dizer que você tenha que sofrer!
    Até quando você vai ficar usando rédea?!
    Rindo da própria tragédia
    Até quando você vai ficar usando rédea?!
    Pobre, rico ou classe média
    Até quando você vai levar cascudo mudo?
    Muda, muda essa postura
    Até quando você vai ficando mudo?
    muda que o medo é um modo de fazer censura

    Até quando você vai levando? (Porrada! Porrada!!)
    Até quando vai ficar sem fazer nada?
    Até quando você vai levando? (Porrada! Porrada!!)
    Até quando vai ser saco de pancada?

    Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
    O seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
    Cê tenta ser contente e não vê que é revoltante
    Você tá sem emprego e a sua filha tá gestante
    Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
    Você que é inocente foi preso em flagrante!
    É tudo flagrante! É tudo flagrante!!

    A polícia
    Matou o estudante
    Falou que era bandido
    Chamou de traficante!
    A justiça
    Prendeu o pé-rapado
    Soltou o deputado
    E absolveu os PMs de Vigário!

    A polícia só existe pra manter você na lei
    Lei do silêncio, lei do mais fraco
    Ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco
    A programação existe pra manter você na frente
    Na frente da TV, que é pra te entreter
    Que é pra você não ver que o programado é você!
    Acordo, não tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar
    O cara me pede o diploma, não tenho diploma, não pude estudar
    E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado, que eu saiba falar
    Aquilo que o mundo me pede não é o que o mundo me dá
    Consigo um emprego, começa o emprego, me mato de tanto ralar
    Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar
    Não peço arrego, mas onde que eu chego se eu fico no mesmo lugar?
    Brinquedo que o filho me pede, não tenho dinheiro pra dar!
    Escola! Esmola!
    Favela, cadeia!
    Sem terra, enterra!
    Sem renda, se renda! Não! Não!!

    Muda que quando a gente muda o mundo muda com a gente
    A gente muda o mundo na mudança da mente
    E quando a mente muda a gente anda pra frente
    E quando a gente manda ninguém manda na gente!
    Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura
    Na mudança de postura a gente fica mais seguro
    Na mudança do presente a gente molda o futuro!

    Até quando você vai ficar levando porrada,
    até quando vai ficar sem fazer nada

    Comentário: Que a sociedade tem que se movimentar e ir à luta para conquistar o que querem, porque que senão sempre irão ficar levando “porrada”.

  6. Achamos a música interessante por falar de racismo, sobre pessoas da favela, fala sobre a discriminação, os direitos também.
    Ele só encontra violência quando liga a tv e só aparece morte irmão matando irmão.

    link da música com vídeo
    http://letras.mus.br/adriano-e-nani/173269/

    Letra da música

    Rap do Sem Preconceito
    Adriano e Nani

    Pra que tanto preconceito com seu irmão
    Todos têm o direito como cidadão
    Preto, branco, rico ou pobre
    Todos são filhos de Deus
    Doutor se moro na favela o descriminado sou eu
    Pra que tanto preconceito com seu irmão
    Todos têm o direito como cidadão
    Preto, branco, rico ou pobre
    Todos são filhos de Deus
    Doutor se moro na favela o descriminado sou eu

    Doutor não tenho culpa se moro na favela
    Nasci na manjedoura fui criado igual a Jesus
    Aquele homem ajudou muita gente
    Malvado, inocentes todos transformou em luz
    Já não agüento essa tal situação
    E pai matando filho, irmão matando irmão

    Mas pra que tanto preconceito com seu irmão
    Todos têm o direito como cidadão
    Preto, branco, rico ou pobre
    Todos são filhos de Deus
    Doutor se moro na favela o descriminado sou eu

    Pra que tanto preconceito com seu irmão
    Todos têm o direito como cidadão
    Preto, branco, rico ou pobre
    Todos são filhos de Deus
    Doutor se moro na favela o descriminado sou eu

    Deixa pra mim

    Ligo a televisão é só se encontra a violência
    Eu peço a autoridade ponha a mão na consciência
    O nosso povo já não agüenta mais
    Só se mostra a violência em manchetes é jornais
    Vamos nós unir com axé é muito amor
    Favelado também luta pela paz o meu doutor

    Pra que tanto preconceito com seu irmão
    Todos têm o direito como cidadão
    Preto, branco, rico ou pobre
    Todos são filhos de Deus
    Doutor se moro na favela o descriminado sou eu

    Pra que tanto preconceito com seu irmão
    Todos têm o direito como cidadão
    Preto, branco, rico ou pobre
    Todos são filhos de Deus
    Doutor se moro na favela o descriminado sou eu.

  7. NO CORRE-CORRE DA CIDADE GRANDE

    No corre-corre da cidade grande
    Estou eu
    Mais um mortal
    Indignado com a desigualdade social
    Corro de um lado para o outro
    Trabalho que nem um condenado
    Pra melhorar de vida
    E mal consigo sustentar minha família
    Isso não tá certo, não!
    Isso não tá certo, não!
    Mas o que fazer?
    Se nem o governo consegue resolver os problemas sociais
    Deixando toda a população frustrada
    Assim como eu, que mal saio as ruas e já me aborreço
    Por ver tanta injustiça neste mundo
    De um lado uma minoria
    Que muito ganham
    Moram em palacetes
    E esbanjam dinheiro com frivolidades
    De outro, a grande maioria
    Da qual sou parte integrante
    E assim como eu, quase nada ganham
    Moram em casebres
    E até passam fome
    Isso não tá certo, não!
    Isso não tá certo, não!
    Mas o que fazer?
    Se nem o governo consegue resolver os problemas sociais
    Deixando toda a população frustrada e sem saber o que fazer
    Até quando isso vai ficar?
    Até quando isso vai durar?
    Entra governo e sai governo
    E a ladainha é a mesma
    Tudo vai mudar
    Promessas em vão
    E a população mais uma vez fica na mão
    Por não ter moradia
    Viver o dia-a-dia de um transporte coletivo de péssima qualidade
    Saber que a segurança é um caos, mortes e assaltos todo dia
    Enfrentar o alto índice de desemprego
    E a área de saúde nem se fala, é uma verdadeira porcaria
    Sem contar que a educação deste país é de 5ª categoria
    Até quando isso vai ficar?
    Até quando isso vai durar?
    Só Deus sabe, meu irmão!
    Por isso, uso esse rap para deixar aqui o meu protesto
    Procurando conscientizar o coletivo
    Que não se deve apenas viver
    Mas conviver e participar de ações
    Que envolvam a cidadania
    A cidadania, meus irmãos!
    Direitos e deveres iguais para todos… Letra do Rap: Márcio Possato Gomes

    A música fala sobre o quão frustados ficamos por todos os dias passar por coisas, como trânsito, desemprego, e problemas da sociedade… uma boa música, podemos ver os problemas que a sociedade passa enquanto muita gente vive as nossas custas.

  8. Autores:Marieli,Josiane e Karine
    n°s:26,16 e 18
    9° ano A

    Juntos lutando contra o bullying

    Você ai, Mané
    Que julga a outra pelo o que ela é
    Não faz idéia do que está fazendo
    E o que a outra esta sofrendo
    Me diz ai,
    Você sabe o que esta fazendo?

    Umas pessoas acham que é uma brincadeira
    Mas eu acho isso não passa de uma besteira
    Ainda mais na adolescência
    Que ocorre essa violência
    No mundo de hoje
    Temos que ter cuidado
    Para não sermos maltratados
    Com essas ações ridículas
    Que acabam com muitas vidas
    Você sabe do que eu estou falando?

    Violência,
    Sem procedência
    Xingamentos,
    Sem sentimentos
    Imagina só se você algum dia sofrer isso
    Ninguém quer,
    Então por isso
    Vamos lutar por um mundo bem melhor
    O que todo mundo quer é a paz
    Digam não ao bullying!
    Pois, as diferenças fazem o mundo
    Então, não julgue a outra por sua aparência
    Por que ninguém é perfeito
    Todos têm seu defeito
    Cada um tem seu jeito.

  9. cantor:Facção Central

    A cor

    Se imponha, sendo negro ou branco porque vergonha
    Vocês não sabem o quanto eu me orgulho por ser negro
    e honro a minha cor
    Se eu fosse branco certamente eu teria o meu valor
    Indiferentes somos, independente de raça, mas racismo
    é moda que não acaba e não passa
    Você disfarça ser o que não é, não aceitando a sua cor
    Eu sei que muda se puder
    Fazem piadas a respeito do cenário negro
    Você escuta, aceita e fica por isso mesmo
    Estou descrendo que esse apelo é somente pra negros
    Serve pra brancos e todos que não cultivam o preconceito
    É um direito que nós temos de viver em paz
    Se valorize, sendo negro ou banco somos iguais
    Facção Central está nessa batalha lendária tentando, mudando,
    acabando, pondo de lado o racismo
    Pois a todos vocês, negros e brancos eu digo:

    Cor não é motivo de vergonha
    A minha, a sua, a nossa cor não é motivo de vergonha, irmão
    A nossa cor não é motivo de vergonha
    Vergonha é não lutar e se acomodar.
    A nossa cor não é motivo de vergonha
    A nossa cor não é motivo de vergonha, irmão
    A minha, a sua, a nossa cor não é motivo de vergonha
    Vergonha é não lutar e se acomodar

    (…….)

    Comentário:Essa música fala sobre uma realidade que acontece muito hoje em dia que é o racismo.Acho importante tocarmos nesse tema porque não importa a cor da pessoa e sim é o caráter dela,não devemos julgar elas sem conhecermos, muitas vezes pode ser uma pessoa do mal como uma pessoa do bem.

  10. Não à homofobia

    Homofobia é discriminação
    Todos devem ter sua opção.
    Para poderem viver bem,
    sem medo de ninguém.

    Precisamos ter um conceito
    para não cometermos o preconceito
    sobre os homossexuais,
    porque somos seres humanos iguais.

    Ser diferente não é um pecado,
    mas sempre são discriminados
    Por um povo imperfeito
    que não conhece o respeito.

    Devemos acabar com a homofobia,
    para termos uma vida sadia.
    Cada um com sua opção
    e um mundo sem discriminação.

    Precisamos ter inteligência,
    para não sofrermos as consequências
    de um mundo irracional,
    que discrimina sem igual.

  11. Minha história

    Tudo começou vou contar para vocês,
    A minha história é triste conto só mais esta vez,
    Na minha vida não há paz nem há pais,
    Mas mesmo assim cheguei até o fim,
    Com sorte outra vez perdi a minha vó com apenas 5 ou 6.

    Não tenho luxo mano, vou perder mais quem fulano?
    Mais mesmo assim,
    Vou batalhar até o fim,
    Daquele jeito, mesmo sem surtir efeito,
    Eu vou na fééééé,
    Fique ligado pois até desfavelados,

    Tem direito a vida como outro qualquer.
    Tudo que eu queria era apenas ser feliz,
    Percebi que a vida não vive só de “Paris”
    Depois de tudo isso comecei a trabalhar
    Não tinha outra escolha a não ser “ralar”
    Depois volta pra casa,
    E estudar, estudar, estudar…

  12. PERIFERIA
    Periferia, aonde as mina de 11 anos com filho na barriga
    lek de 8 pegando a arma e atirando.
    Ainda vemos sangue escorrendo no pára-brisa.
    A gente passa os manos vira o zóio, vamo vira também
    Sem ter muitas opções
    É preciso ser artista ter fé pa não mete a mão.

    Play boizinho chega aqui pensando que é tudo ladrão,
    não somos todos iguais,
    não temos o quê fazer
    apenas a consciência que não deve se envolver.

    Somos obrigados a ver as mães correndo com suas crianças,
    O crime dominando, gente do morro morrendo sem ter feito nada.
    Sem dinheiro só pobreza, assim que nós vivemos.
    E sonhos no pensamento, da paz no morro e o morro dominado, os play boizinhos respeitando
    Ver-mos crianças com bonecas, carinhos sem armas sem filhos.

    Ai sim! Vamos andar tranquilamente sem nego zoiando torto,
    E o respeito e educação dominando o nosso morro!!
    Autora:Marina Eduarda 9ºano A

  13. Nomes: Rhaila, Andressa Dresch, Gabriela Zarnott e Gabriela Santos N° 28, 02, 12 e 13
    9° ano ‘A’
    ‘O VERDADEIRO MORTAL COMBATE’

    Que bom viver a vida, madrugada noite e dia, poesia soa livre e vai de encontro a melodia.
    Há quem não vale um centavo e a quem não vale mais do que o mundo pode oferecer.A moeda é a mesma, o que muda são os valores.
    Um pá de mano meu, um pá de mano seu, fé em Deus pois ele é justo!
    Para mim zica memo é o rap nacional, curto Jai-z mais prefiro Edi rock e marechal.
    A revolução da raça humana sempre foi sua destruição.
    Sem rumo, sem noção, justo e são.
    Tudo em vão, sem motivo ou razão, forjou guerra na terra em pol de nada, com armas sofisticadas, muitas almas serão crucificadas, frutos da ira e da loucura e da ambição, são os desastres.
    Geram cães .
    Geram medo.
    Um verdadeiro mortal combate.

  14. Beatriz 06, Daiane 08, Darlene 10, 9 ano c

    A sociedade

    Aqui se planta, aqui se colhe
    mas para a sociedade é preciso que se molhe,
    e preciso que se regue para nascer uma sociedade melhor,
    e preciso ter amor e muita paz.
    é preciso muita coisa, e que muita coisa mude,
    muita força de vontade e atitude
    pra pode colher a paz tem que corre atrás,
    tem que ser ligeiro pra pode colher a fruta
    e preciso ir a luta tem que ser guerreiro.
    Pela sociedade a gente grita, a gente berra,
    pela sociedade devemos fazer mais.
    Eu vou a luta, eu vou armado de coragem e consciência, amor e esperança,
    a injustiça e a pior das violências.
    Eu quero paz, eu quero mudança e dignidade pra todo o cidadão
    mais respeito menos discriminação,
    desigualdade não, impunidade não,
    não me acostumo com essa acomodação.
    Como e que a gente faz pra impedir a violência na emergência dos hospitais,
    e o sofrimento, os filhos que não nasce,
    os pais que morrem sem atendimento,
    qual a gravidade de um roubo milionário praticado por uma autoridade,
    que tem imunidade e compra a liberdade,
    enquanto o cidadão honesto vive atrás das grades
    com medo de um assalto a mão armada pagando imposto e não recebe nada,
    qual e o grau do perigo da falta de estudo e de emprego, de prisão e de abrigo.
    Qual é o pior inimigo, os países da corrupção ou os filhos dos mendigos,
    qual e o grande culpado o ladrão que tem cem anos de perdão ou você que vota errado….

  15. Calma na Alma
    (…)
    Porque sempre vão ter vários pra tentar te humilhar
    Não abaixe a cabeça, levanta esse olhar
    Vamo tá junto mesmo se for um milhão de milhas
    Pois não seria ninguém sem essa família

    Já sei porque não consigo dormir há dias
    Há algo no meu pensamento lento que me paralisa
    Não aguento viver preso a dogma e doutrina
    Eu quero a calma na alma pra poder viver a vida
    (…)

    -ConeCrewDiretoria
    (faltou o comentário)

  16. O Brasil é assim

    Viver é aprender
    Aprender é viver
    A sociedade não é digna
    mas vivo nela para aprender

    Corrupção faz parte o sistema é assim
    Independente do que eu faço
    O mundo não muda por mim

    Tudo que eu ganhei foi graças ao suor
    Oportunidades não ganhei
    Todas eu busquei
    Mas eu vou batalhar para talvez
    A corrupção um dia acabar
    E numa sociedade boa a gente morar

    Vou te falar uma coisa
    E é a realidade
    O povo aqui do morro
    Não tem autoridade

    (refrão)
    O Brasil é assim
    E assim que funciona
    Quero isso longe de mim
    Farinha, crack e maconha

    Vamos combater isso ai
    Acredito que um dia vou subir
    Trabalhando muito
    Acreditando que um dia vou mudar o mundo

    Vamos acreditando
    Que um dia vai mudar
    Menores infratores
    Isso vai acabar

    Mas aqui também tem coisa boa
    Gente trabalhadora
    Trabalha dia e noite
    Para comprar uma impressora.

    (Refrão)

    Esse rap acaba assim
    Falando da sociedade
    Do que ela faz para mim
    Com toda sinceridade.

  17. E ESSE É MEU RAP

    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar…
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vim atrás de mim
    Aprendi a ser esperto aprendi a meter fita, no meio
    da malandragem solto fumaça.
    Cresci numa quebrada onde não pode dar mole, onde
    amigo e confiança com certeza não há!
    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar..
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vinha atrás de mim

    Pulei o muro da escola pra correr atrás de pipa,
    jogar conversa fora, biloca em fica, matar gato de pedrada,
    rasgar o lixo do vizinho..
    é muita ocorrência pra um só menininho
    è divertido aprontar, fazer o que é proibido, pedra
    no telhado, brincadeira de bandido, espingarda de
    madeira, mocinho e bandido, vida loka desde cedo atrás dos
    inimigos, mais folgado da rua tipo mais aloprado,
    jeitinho de marrento carinha de folgado, odiava
    escola classe ou centro de ensino, da meu xumbinho da meu
    brinquedo de matar menino, muitas vezes minha mãe me
    chamou de capeta, eu sou o tipo de cara que não vive
    sem treta, de tanto de escutar o nome por ele eu atendo,
    na madruga é nós na fita puro veneno.

    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar..
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vinha atrás de mim.
    Aprendi a ser esperto aprendi a meter fita, no meio
    da malandragem solto fumaça.
    Cresci numa quebrada onde não pode dar mole, onde
    amigo e confiança com certeza não há!
    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar..
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    Os cana vinha atrás de mim.

    Passei infância no Caje aprontei pra carai, na fuga
    da lotérica a casa sempre cai, se acostumar com as
    torturas é sempre difícil, trabalho exige muito roubar
    é meu vício,
    na minha casa não tem plasma, nem LCD, tem uma lan ali
    moscando cheia de pc.
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vim atrás de mim
    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar..
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vinha atrás de mim

    Esse mundo me ensinou a roubar, esse mundo me ensinou
    a matar, esse mundo me ensinou a viver de um jeito
    que não dá pra mudar, eu queria poder viver bem, eu
    queria um dia ser alguém, infelizmente o que se quer não se
    tem, preto rico 1 entre 100!

    Só sei fazer o errado eu aprendi a ser assim, quem
    vai por esse caminho logo encontra o fim, pobre sem
    profissão nada consta custa um montão, fecharam as
    portas pra mim roubar é minha profissão, queria até
    ter um carro tunado estilo sport pra conseguir um
    daqueles só sendo um patrão dos fortes, ou conseguir
    um canal numa agencia bancária ou sequestrar um playboy
    filho de uma mãe milionária, pensar honesto não dá
    nunca deu e nunca dará se quem governa o país também
    aprendeu a roubar, eu roubo a mão armada eles roubam
    no caô, me chamam de bandidão, eu chamo eles de doutor.

    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar..
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vinha atrás de mim
    Aprendi a ser esperto aprendi a meter fita, no meio
    da
    malandragem solto fumaça
    Cresci numa quebrada onde não pode dar mole, onde
    amigo e confiança com certeza não há!
    Eu queria mudar, eu queria mudar, eu queria mudar, eu
    queria mudar..
    O meu mundo me ensinou a ser assim, fazer a correria
    os cana vinha atrás de mim!

    (Ver…autoria)

  18. Bullying – Rap
    Se voce acha o valentão.
    Cuidado !
    Daqui uns dias, elas podem te machucar

    Se voc briga com os pequenos
    Cuidado !
    Eles tambem crescem
    E pode te machucar

    Se voc o dono
    Da verdade
    Olhe-se no espelho
    Ele sim diz a verdade

    Maria Eduarda Moraes Risstto, 9 ano D , nº 36

  19. NOMES : Fabricio Souza e Yan Roberto. DATA: 02 / 05 / 2013
    NÚMEROS: 15 e 35
    SÉRIE OU ANO : 9º ano C

    RAP

    Hoje eu acordei com um pensamento meio estranho .
    Levantei , lavei o rosto e pensei .
    Pensei em uma sociedade estranha e misteriosa .
    Mas que muita gente acha que é gloriosa .

    A culpa não é minha se a maldade está em mim .
    Mas foi a sociedade que quis assim .
    Muitos amigos tentam me ajudar .
    Mas com a sociedade assim nada vai adiantar .

    Já tentei mudar a sociedade .
    Mas sou só um cara , um alguém sem popularidade .
    Sei que está terrível essa sociedade .
    Mas eu não vivo por ela , e sim pela liberdade .

    Fizemos essa música para-lhe mostrar .
    Oque essa sociedade pode tramar .
    Por isso viemos até aqui para falar .
    Não vamos correr , vamos lutar , para que a sociedade não possa nos derrubar .

  20. Politica do Brasil

    O rap que eu faço é de coração Tá ligado ?
    Tipo assim é estilo campeão.
    Eu faço rap desse jeito e não adianta discussão
    E o bonde da atitude R.A.P provocando explosão !
    Explosão de rimas que sai da minha mente sem explicação,
    Que passo de caneta para o papel e tenho orgulho desse dom,
    Minhas rimas são verdadeiras não apenas ilusão,
    Procuro sempre evoluir juntamente com os meus irmãos,
    fazendo músicas para toda essa população,
    Desse País maravilhoso que eu amo de paixão,
    que se afunda cada vez mais pela má administração desses políticos
    sem caráter totalmente sem noção que só pensa neles mesmos e dane-se a população.
    Por isso nós sabemos que sem o apoio dos políticos não haverá educação, e sem educação ninguém vai para frente.

    Larissa Regina Souza N° “21”

    Adilvo Luiz Zancheta N° “1”

    9° “D”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s