Tema – Sexualidade.

SEXUALIDADE PRECOCE – GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA- MÉTODOS CONTRACEPTIVOS- DST-ABORTO-MÍDIAS E EROTIZAÇÃO

O tema sexualidade trabalhado com os 9º Anos se justifica pela:

•Crescente abrangência dos discursos da mídia na sociedade, enquanto formadora da opinião dos adolescentes;
•Pelo uso abusivo da sensualidade e erotismo nos meios de comunicação;
•Pela linguagem persuasiva e imagens apelativas, instigando a precocidade da iniciação sexual, contribuindo com o grande número de adolescentes grávidas.
 .Pela necessidade de trabalhar  as questões ligadas a Sexualidade com os alunos adolescentes.
OBJETIVOS
•Ler, analisar, interpretar e confrontar os diferentes discursos veiculados pela mídia com teor de sensualidade e erotização;
•Orientar os educandos, através de informações contextualizadas, a serem mais críticos diante dos apelos midiáticos e selecionar de forma mais criteriosa o que é verdadeiramente importante para a sua vida, para o seu crescimento.
•Incentivar a pesquisa para além da sala de aula, salientando a importância de buscar mais fontes de informação, que visem proporcionar subsídios ao trabalho do professor;
•Reconhecer o papel de mídia na educação, como ela constrói e permeia as relações entre as pessoas, contribuindo com a construção do conhecimento e da vivência humana criando e recriando significados, sem se deixar manipular pelas suas investidas cotidianas.
Ponto de Partida. Discussão sobre os dados  estatísticos apresentados abaixo.

NÃO FAÇA PARTE DESTES NÚMEROS:

•20,5% dos bebês nascidos em 2007 são filhos de mães adolescentes;
•25% das jovens de 15 a 17 anos que largam a escola o fazem por causa da gravidez;
•72 meninas com menos de 14 anos dão a luz diariamente no país;
•5% das mortes de garotas entre 10 e 19 anos são provocados por problemas relacionados à gestação;
•Apenas 33% dos jovens entre 12 e 21 anos usam camisinha nas relações sexuais;
•Mais de 20% das garotas brasileiras entre 13 e 19 anos já enfrentaram uma gravidez;
•22% dos adolescentes iniciam suas atividades sexuais aos  15 anos. (Escolas públicas 33,1% & Escola Particular 20,28% – Andi)
•63% das alunas gestantes param de estudar. Só 40% voltam à escola depois do parto;
•O número de parto de garotas entre 10 e 14 anos, atendidas pelo Sistema Único de Saúde – SUS, entre 1994 e 2000, subiu 18%;
•Um milhão de adolescentes viram mães todos os anos do Brasil. Isso equivale a 2.740 partos todos os dias, 114 partos por hora e aproximadamente 2 partos por minuto;

. 60% das meninas que engravidam no Brasil, dezoito meses depois engravidam novamente.

 

Leitura da entrevista, presente no livro do 9º Ano, com o Dr. Drauzio Varella. Analise dos Dados.
SEXUALIDADE
O que é Sexualidade. Pesquisa online.

•“(…) Sexualidade não se limita a órgãos genitais e ato sexual; é um movimento que permeia o desenvolvimento global do Ser. pois envolve aspectos como a construção e consolidação de vínculos, a aprendizagem de papéis sociais e de gênero, a percepção e o conhecimento do próprio corpo e de seus sentimentos, o desenvolvimento de potencialidades, o desenvolvimento e a escansão da consciência de si e do mundo ao seu redor.”

Apresentação  socialização dos resultados.

SEXO SEGURO

“Sexo seguro é o sexo sem dor, sem trauma, é o sexo afetivo, com responsabilidade, aprendendo a respeitar a si mesmo e ao outro.”Darci Vieira da Silva Boneto

Debate sobre as Campanhas – Uso de preservativos.

PRESERVATIVOS-  MÉTODOS CONTRACEPTIVOS.

http://www.min-saude.pt/portal/conteudos/informacoes+uteis/gravidez+e+sexualidade/metodoscontraceptivos.htm

Leitura e análise do artigo da revista Veja.

Eles sabem tudo. Será?

http://veja.abril.com.br/especiais/jovens/p_024.html

Produção textual dissertativa sobre os dados apresentados.

Pesquisa sobre Métodos contraceptivos.

Texto: Cada um tem a sua hora.

Análise da pesquisa. Contextualização e produção textual.

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

O Que são métodos contraceptivos?

Pesquisa- Material do Agrinho- 9º Ano.

Tipos:
•Eficácia (“Vantagens”)
•Ineficácia (“Desvantagens”)
Especificidades de cada um:
•Pesquisas
•Conversa com médico
MÍDIA E EROTIZAÇÃO

A mídia, através de seus diferentes meios de comunicação e suportes tecnológicos, estimula o erotismo precocemente, “valoriza” o sexo com mensagens distorcidas, usando na maioria dos anúncios imagens sedutoras, linguagem apelativa e polissêmica.

O PODER  DOS DISCURSOS MIDIÁTICOS

(…) Os adolescentes tão pouco estão ao abrigo dos efeitos da Mídia que podem ser perversos. A busca de modelos externos, típica desta fase, dos separação de modelos familiares, fazem com que aqueles carentes de referências, tomem os padrões e comportamentos sexuais que a mídia exibe como “regra de conduta”.

(in Jornal do Psicólogo, CRP-O4, BH, 20, 75, a abril a junho de 2003, 9).

PROPAGANDAS

• ”A propaganda seduz nossos sentidos, mexe com nossos desejos, revolve nossas aspirações, fala com nosso inconsciente, nos propõe novas experiências, novas atitudes, novas ações” (SAMPAIO, 2003, p. 23).
•A mensagem publicitária convence, atrai, interessa, influencia a determinadas decisões e atitudes, mesmo que o leitor não admita ou não perceba que está sendo sutilmente manipulado; ele é assujeitado.
•Confirma o autor: “É fato incontestável que todos os integrantes das modernas sociedades de consumo são influenciados pela propaganda. Não há como escapar de sua influência. Nem querendo” (SAMPAIO, 2003, p. 23).

O texto verbal é mais explícito que a imagem, porém, a ilustração tem o poder de comunicar de imediato, com mais rapidez, e levam a uma interpretação, forçando o receptor a interagir mais efetivamente com o produto mesmo que de forma subconsciente.

•A propaganda para conseguir seus intentos é apelativa, é persuasiva e incansável. “Joga” de forma sutil e ao mesmo tempo arrebatadora; precisa emocionar, interessar e motivar o leitor a consumir, para que este se sinta “ajustado socialmente”, integrado e atualizado.
•Vale-se de imagens atraentes, mulheres jovens, dentro dos padrões estipulados de beleza, transfere valores de um grupo reduzido para a sociedade como um todo.
•Induzem ao ato de comprar não por necessidade, mas para galgar o referencial preconizado pela propaganda.

ARTIGO – PORNOCULTURA E GRAVIDEZ PRECOCE.

http://www.portaldafamilia.org/artigos/artigo738.shtml

•O artigo “Pornocultura e gravidez precoce”, de Carlos Alberto Di Franco, deixa claro que a raiz do problema

“está na onda de baixaria e vulgaridade que tomou conta do ambiente nacional. Hoje diariamente na televisão, nos outdoors, nas mensagens publicitárias, o sexo foi guindado à condição de produto de primeira necessidade”.

O Estadão, 14/07/2008

Oficinas realizadas sobre o tema  Sexualidade e subtemas.

  • Sexualidade precoce
  • Gravidez na adolescência
  • Aborto
  • DST
  • Métodos contraceptivos
  • Mídia X Sexualidade precoce

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s